Coluna – O Brasileirão de 2021 rebaixou o árbitro de vídeo

Já fui chamado de “dinossauro”.  Pelo simples fato de não gostar do árbitro de vídeo no futebol. Falo e escrevo isso há anos, desde antes da implantação dele no Brasileirão. Sou favorável ao chip na bola, para dizer se ela cruzou ou não a linha do gol. No mais, que o árbitro de campo decida, com direito a erros e acertos, como sempre foi, gerando as velhas discussões que faziam do futebol um tema de debate tão fascinante.ebc - Coluna – O Brasileirão de 2021 rebaixou o árbitro de vídeoebc - Coluna – O Brasileirão de 2021 rebaixou o árbitro de vídeo

Mas é evidente que fui derrotado na minha posição, e os grupinhos que ainda se reúnem pra discutir sobre um jogo só falam que o árbitro errou, quando não usam o termo “roubou”. O centro do debate deixou de ser a dúvida sobre se a bola bateu ou não no braço, se o jogador estava ou não impedido. Agora as polêmicas são que o VAR não chamou quando devia; interpretou um lance, quando não cabia; e por aí vai. Os times não estão mais nas discussões. A arbitragem, com cada vez mais gente em ação, é a equipe que mais chama a atenção.

Fonte: Agência Brasil

Foto: CBF

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *